Translate

terça-feira, 26 de maio de 2015

Você não está sozinho: o drama dos grupos de Ensino Domiciliar

Nestes últimos meses tenho acompanhado várias famílias em seu processo de definir qual caminho seguir, tanto nos grupos em que participo como nas Consultorias que realizo, percebo um movimento orgânico e muito semelhante. 

Este "algo" aparece como um ponto comum, unindo todas estas famílias com um cordão invisível, cada família com seus valores e práticas educativas. Cada família com seu currículo e carga horária, e mesmo assim, com muito em comum.

Você pode ter lido até aqui e pensado, mas eu não tenho currículo ou carga horária, aqui é tudo muito natural. E muitas famílias acreditam  que não possuem um currículo, mas todas possuem. 

O fato de você não definir por escrito, não quer dizer que não tenha em mente um esboço do que priorizou para sua família em termos de aprendizado, e este é seu currículo. Se você não tem horário definido, e é guiado pela chuva ou sol ou pelo interesse da criança, ali está sua carga horária (diária ou semanal).

Então, o que mais estas diferentes famílias teriam em comum?

Busca pelo Conhecimento

Hoje no Brasil mais de duas mil famílias já praticam a Educação Domiciliar, e é um movimento que está crescendo cada vez mais. E estas famílias tem buscado informação e formação sobre o tema Educação Domiciliar, e sobre todos os outros temas de interesse de suas próprias famílias.

Então, uma das coisas que podemos ver em comum entre todas as famílias é esta positiva busca pelo conhecimento. Aquela mesma curiosidade que admiramos nas crianças agora tem unido famílias de todos os lugares. E assim a grande comunidade virtual de educadores domiciliares tem se costurado nos últimos meses, com uma grande sede por aprender.

Transformação da Rotina Familiar
Muitas famílias começam adaptando sua rotina para o Homeschooling, mas com o tempo vão percebendo todas as possibilidades de ensino e aprendizado dentro da rotina e vão alterando elas. 
Há famílias que passaram a fazer mais passeios depois do Homeschooling (museus, teatros, zoológicos, feiras diversas...), há famílias que passaram a ter mais momentos em família (melhorando o vínculo familiar através do diálogo), enfim, se elas começaram apenas querendo ensinar os filhos em casa, então, sem perceber, foram transformando toda a sua rotina.


Transição e mudanças de currículos 
Sim, como a família é um organismo vivo, a educação no ensino domiciliar sempre está se alterando. As prioridades, os currículos, os interesses dos filhos passam a ter mais valor, tudo vai se alterando com o tempo. 
É bem comum, entre as famílias, começarem seu ensino domiciliar de um jeito (do jeito que compreendem ser importante naquele momento) e depois com o tempo alteram totalmente sua forma de realizar a Educação Domiciliar. 

É normal num primeiro momento, trazer "a escola" para dentro casa, e aí, depois, ir adaptando e alterando tudo para formar seu próprio conteúdo programático.

A compreensão da flexibilidade e da liberdade que o Ensino Domiciliar proporciona é algo que é absorvido no ritmo de cada família e de forma diferente, mas no fim, todas vão encontrando seu caminho de compreender isto (seja estudando e pesquisando sozinho ou estudando com a ajuda profissional de um Pedagogo). 

E há muitas outras características em comum entre as famílias homeschoolers, e estas semelhanças vão formando este "algo" que falei no começo e que constrói esta grande comunidade virtual de famílias que ensinam em casa.

Você pode se perguntar agora para que escrever um texto sobre isto? Eu escrevi, pois tenho esperança neste "algo" em comum, penso no quanto estas famílias diferentes poderiam se unir. 

Claro, acho importante que haja diversidade de grupos, pois nos microgrupos elas conseguem buscar similaridades com seus valores e se especializar nas práticas e conteúdos importantes para aquele grupo familiar, mas, desejo muito que estes pequenos grupos não sejam conchas,espero que as famílias  não se fechem. 

Não tranquem as portas dos pequenos grupos familiares. Abram espaço para trocas. Abram espaços de compartilhamento de ideias, sem dramas. O conhecimento não é algo restrito, assim como você começou a buscar um dia, alguém neste exato momento está lendo este texto e começando a buscar também. Ajude no que puder.

E se você está começando a buscar informações, seja generoso também. Busque primeiro no google (há muitos textos e vídeos sobre o tema atualmente), busque no facebook (há grupos diversos com materiais para todas as idades), faça cursos (sim, há muitos cursos bons atualmente e palestras também sobre conteúdos diversos. Eu sinceramente preciso abrir um parêntesis aqui para tanta bobagem que eu li nos últimos dias sobre cursos online, mas isto vai ficar para outro post! rsrs)
Em resumo...leia e muito. As pessoas que possuem informações sobre o tema geralmente tem amor pela causa da Educação Domiciliar e estão abertas para ajudar, nestes dois anos não encontrei uma só família que não se prontificasse em compartilhar com esta mamãe homeschooler que vos fala, mas isto não quer dizer que elas sejam obrigadas a fazer isto.

Então, ao pedir ajuda, lembre que é outra família que está ali, trocando informações com você. Agradeça, e coloque-se também à disposição. É na troca que crescemos mais. E ninguém sabe tudo que não possa aprender algo, assim como ninguém é tão sem conhecimento que não possa ensinar alguma coisa.

Concluindo, a união, em nossa luta pela aprovação do Projeto de Lei do Ensino Domiciliar no Brasil, é fundamental. 

Abraços a todas as famílias. Não estamos sozinhos, temos uns aos outros.

Glaucia Mizuki

Mamãe Homeschooler, Pedagoga e Coaching Online

Gostou do texto? Comente abaixo, será uma alegria conversar com você!

Gostou das Dicas do blog? Assine nossa lista 


3 comentários:

Será uma alegria ler seu comentário...

Outbrain