Translate

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Brinquedos de lixo: Reciclar ou não, eis a questão



Outro dia vi um artigo criticando as professoras que reciclam lixo colorindo e pintando , pois tudo vai para o lixo e muitas vezes não poderá ser devidamente reciclado (por ter cola e glitter e todas as decorações excessivas). Então, um papel que poderia ser reciclado, depois de ser pintado e colado e enfeitado, não poderá mais ser reaproveitado.

Eu concordei e discordei.

Tem professoras que exageram, mas muitas professoras que utilizam recursos de transformação de lixo em materiais paradidáticos , estão apenas oportunizando para as crianças experiências que elas não teriam de outra forma.


Saindo do mundo escolar, pensei em mim.

Tudo o que fiz no homeschooling para meu filho, e está aqui neste blog, de alguma forma tem sim reciclagem no meio. Se eu não tivesse reciclado rolos de papel alumínio e caixa de leite e pintado, ele nunca teria um CAVALINHO DE PAU...que não era de pau rs. Ou não teria um mini pebolim de caixa de sapato que ele transformou depois em uma MÁQUINA DE LAVAR , ou um ALFABETÁRIO feito com caixas de suco que ficou alguns anos no QUARTO organizando os brinquedos, ou ainda os CARTÕES e CALENDÁRIOS NATALINOS , e não teria seu primeiro DINOSSAURO de brinquedo, ou o CASTELO feito com a caixa do ventilador, ou a CASINHA feita com caixa de leite, e muitas outras aventuras que vivemos reciclando lixo.

Para quem prefere não fazer nenhum tipo de reciclagem , acho que vale pensar que muitas vezes eu reutilizava os materiais para recriar na forma de outros objetos, como transformações temporárias, porque o aprendizado sempre foi mais importante que o resultado do produto material. Então não precisava ficar lindo. Lembro quando fizemos o PAU DE CHUVA que após brincar muito foi totalmente desmontado e descartado como se não tivesse sido transformado em instrumento musical, para isto usei tecido para decorar. Ou ainda quando fizemos PRESENTE dia dos pais reciclado e ainda está aqui em nossa estante,ou o PAPEL RECICLADO colorido que fizemos para enviar cartões e ensinar o processo da reciclagem caseira para meu filho.

No geral, eu nunca fui muito detalhista, não busco transformar totalmente, deixoa sempre a borboleta com aspecto de lagarta rsrs. Eu sempre gostei de deixar uma parte do brinquedo não transformada para ele não esquecer de onde veio aquele brinquedo ou então transformar com ele.
A ideia era mostrar também ao meu filho que não é por faltar o brinquedo pronto que deixaríamos de nos divertir. E esta lição ele aprendeu muito bem. Ele é muito criativo, e usa qualquer coisa para transformar naquilo que imagina na hora de brincar, e isto não tem preço.

Por isto, penso que a melhor dica é o equilíbrio. Nem muito ao sol e nem muito na sombra.Acho complicado demais estar totalmente contra este tipo de reciclagem. Afinal, até mesmo o brinquedo comprado pronto, um dia, acaba no lixo e muitas vezes não poderá ser reciclado, e para muitas realidades esta é a única forma.
A não ser que você tenha condições de comprar apenas brinquedos "amigos da natureza", mas esta não é a realidade econômica da maioria das pessoas. E privar seu filho de ter todas estas experiências porque quer salvar o planeta, sendo que todo o resto do seu lixo você separa adequadamente...eu , particularmente, acho preciosismo demais.

No meu caso, prefiro transformar o rolo de papel toalha ao invés de comprar o presente da casa china, e também dispenso as decorações excessivas. E vou fazendo com equilíbrio, aquilo que posso e sem culpar ninguém e sem me sentir culpada, mas aceito de presente todos os brinquedos "amigos da natureza" que queiram enviar rsrs.

Não sei...se este post irá ajudar alguém a pensar no assunto, mas para mim é um tema que tenho muito interesse e não consigo ser radical, e até posso voltar aqui e continuar falando rs



"Meu filho, guarde consigo

a sensatez e o equilíbrio,

nunca os perca de vista;"

(Pv 3:21)



Gostou das Dicas? Assine nossa lista





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Será uma alegria ler seu comentário...

Outbrain