Translate

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Expressões Faciais Halloween no Ensino Infantil

 Outro dia eu estava no supermercado com a mamãe e vi esta abóbora e falei para mamãe que era HALLOWEEN.
 A mamãe ficou intrigada para saber como eu conhecia esta palavra e comprou a abóbora. Aproveitando uma brincadeira simples, a mamãe desenhou expressões faciais  em algumas abóboras e pediu para eu escolher uma e então ela recortou a abóbora.

Então ela me deu um espelho e eu brinquei de imitar expressões diferentes. Como seria me ver alegre, ou triste, ou bravo, ou assustado. Eu me diverti muito. E até pude pintar a abóbora com canetinha, e quis pintar com todas as cores ao mesmo tempo!
Então enquanto eu pintava a mamãe me perguntou o que era o Halloween.

E eu falei que era a festa da abóbora. E ela perguntou se tinha mais alguma coisa e eu falei que não.
Enfim, minha mamãe sabe que,  como toda criança, eu observo e aprendo sozinho, absorvendo o que eu vejo, seja em um desenho, vídeo, uma apresentação de teatro ou até na época em que eu ia na creche.  Em algum momento eu ouvi falar em Halloween e vi que havia abóboras sorridentes, mas a festa em si eu desconheço totalmente.

Como minha família é cristã, nós não celebramos o Halloween, mas minha mãe aproveitou meu conhecimento do tema  e interesse  para me falar um pouco sobre a visão cristã desta celebração.

Eu moro em uma cidade onde as bruxas fazem parte da cultura local, há um bairro pelo menos  celebra o Halloween, muitas escolas comemoram e se preparam para esta festa e há empresas onde os funcionários precisam se fantasiar no dia das bruxas e várias lojas no comércio ficam enfeitadas com o tema. 

Outro dia estávamos no Shopping e havia uma apresentação do livro de uma bruxinha, e eu vi os bonecos gigantes dançando e dancei junto. Eu sou pequeno para entender o que esta festa significa em sua essência, ou para compreender as origens desta celebração.

O que minha mamãe achou importante registrar aqui no blog, é que sempre que seu filho lhe trouxer um tema que pode se chocar com valores ou ideologias que você ou sua família defendam, você não deve ignorar, pelo contrário, deve aproveitar a oportunidade para conversar sobre o assunto.
Fingir que um tema não existe, ignorar ele ou subestimar retira o seu privilégio como pai e mãe de ensinar ao seu filho. Como eu sou pequeno, nós conversamos brincando e com palavras simples e objetivas. E eu me diverti muito.
Se você quiser ler sobre o tema sobre a visão cristã, a mamãe achou um link interessante aqui.

Gostou da dica? Assine e 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Será uma alegria ler seu comentário...

Outbrain